Artes marciais: escolha a sua

Caratê

O caratê teve origem em Okinawa e foi introduzido nas principais ilhas do arquipélago por volta de 1922. Enfatiza as técnicas “atemi waza” (defesas, socos e chutes).

Seu treinamento é dividido em três partes: Kihon, Kata e Kumite. Kihon (os fundamentos) é o estudo dos movimentos básicos; Kata (forma, padrão) é uma “luta” contra um inimigo imaginário; e Kumite (encontro de mãos) é a luta propriamente dita.

O que significa
O termo “caratê” significa “caminho da mão vazia”. Originalmente, no entanto, a palavra “caratê” era escrita com os ideogramas de Tang e mão – em alusão à dinastia chinesa Tang.

Filosofia
Apresenta algumas características do zen budismo, o que leva essa arte a ser chamada de “zen em movimento”. As aulas costumam começar e terminar com curtos períodos de meditação. Além da força física, o caratê une o equilíbrio do corpo e da mente em busca de um objetivo maior: a confiança inabalável.

História no Brasil
Chegou ao país em meados da década de 1950 por meio da colônia japonesa – e não demorou para que o caratê conquistasse novos adeptos. Entre os precursores no Brasil, se destacam Mitusuki Harada, Juichi Sagara, Eisuke Oishi, Seiichi Akamine, Koji Takamatsu, Akio Yokoyama, entre outros.

Anterior | Próximo

Páginas: 1 2 3 4 5 6