Arte contemporânea de Kohei Nawa

PixCell Deer

O artista japonês Kohei Nawa é conhecido por seus trabalhos de arte contemporânea centrados na relação entre a tecnologia, a arte e as ciências.

Com a série icônica PixCell, por exemplo, Nawa destaca a composição de objetos formados por células e pixels. A obra DEER#24, parte da coleção permanente do Museu de Arte Metropolitana de Nova York, é uma de suas esculturas mais conhecidas no mundo das artes em que o autor faz uma escultura de bolhas (ou células) a partir de um cervo empalhado.

Kohei Nawa no Brasil

Kohei Nawa no Sesc Vila Mariana

A convite da Japan House (centro cultural do governo japonês cuja inauguração está prevista para maio de 2017), em parceria com o Sesc, Kohei ministrou uma palestra no Sesc Vila Mariana, em São Paulo, na noite do dia 7 de março. Com a apresentação mediada pelo diretor de planejamento da Japan House em São Paulo, Marcello Dantas, Nawa apresentou seus principais projetos artísticos pelo mundo.

Na ocasião, ele contou que tem trabalhado com cerca de 80 projetos simultaneamente e adiantou que um deles já está a caminho do Brasil. “Até o fim de março pretendemos definir os detalhes da exposição na Japan House”, afirmou o artista ao explicar que essa primeira primeira etapa ainda envolve o planejamento dos espaços, das peças e do orçamento. Segundo Dantas, a exposição deve chegar ao público na Japan House de São Paulo em setembro de 2017.

As obras de Kohei Nawa

Nawa segue uma linha própria de compreensão da arte com a tecnologia e entende que a transformação de objetos em dados, na era da informação, pode ser reinterpretada em formas que permitem novos olhares de um mesmo objeto.

Natural de Osaka e atualmente vivendo em Kyoto, o artista já participou de exposições pelo Japão, Estados Unidos, Austrália, Reino Unido e Alemanha. Formado em Artes Plásticas pela Universidade de Belas Artes de Kyoto, Nawa tem um olhar preciso que explora os conhecimentos da física e da química, usando materiais diversos como vidro, spray de poliuretano e adesivos termoplásticos em suas esculturas e telas.

PixCell

Os pixels e as células da série PixCell

Na coleção PixCell, o artista parte da ideia de que um objeto é transformado em pixels no momento em que a sua foto é compartilhada no meio digital. A partir desta premissa, ele começou a construir esculturas usando animais empalhados que eram vendidos pela internet colando bolas de vidro, as células, responsáveis por transformar as informações em dados. “Com elas, é possível enxergar a imagem por outras perspectivas e entender o valor de cada dado dessa informação”, explicou.

Biota

A instalação fica na ilha de Inujima , em Okayama e faz parte de um projeto de revitalização da ilha por meio da arte. A partir do conceito de que “novas formas de criaturas emergem do caos físico”, Nawa representa o poder místico da ilha com suas esculturas feitas com espumas de uretano e destaca: “A obra tem um ponto que é mais iluminado, como se ela surgisse daquele ponto”

Assista ao vídeo da obra Biota, por Kohei Nawa

Biota (Fauna/Flora)_ Inujima Art House Project/F-Art House/ART SETOUCH 2013 from Kohei Nawa on Vimeo.

Direction

Direction, de Kohei Nawa

A pintura usa apenas a força da gravidade como norte para a tinta sobre a tela. Nesta série, Nawa aplica o líquido sobre a tela, deixando que a tinta escorra lentamente e deixe seus rastros registrados. “As linhas que se formam no processo seguem todas a mesma direção. É daí que vem o nome da obra”, explicou o artista.

Sandwich Inc

Em sua plataforma criativa chamada Sandwich Inc, Nawa abre espaço para que estudantes do mundo todo possam participar de programas de estágio para conhecerem o seu trabalho e desenvolverem novos projetos. Segundo o artista, está é uma forma de experimentar e vivenciar o que os artistas fazem.

Veja mais obras na galeria de fotos

Para saber mais sobre Kohei Nawa

.: Site oficial de Kohei Nawa: kohei-nawa.net
.: Inujima Art House Project: benesse-artsite.jp/en/art/inujima-arthouse.html
.: Sandwich Inc: sandwich-cpca.net

Você pode se interessar também por...