Torii, um dos símbolos do Japão

Um dos torii do santuário xintoísta Kasuga Taisha, na província de Nara
Um dos torii do santuário xintoísta Kasuga Taisha, na província de Nara

O torii é um dos elementos mais reconhecidos quando se fala em Japão. É uma construção típica do xintoísmo, a religião nativa do país, e representa a entrada em território considerado sagrado.

Quando feito de madeira, o portal geralmente é pintado de vermelho – segundo a tradição japonesa, tal cor tem o poder de espantar doenças. Existem torii feitos de pedra, bronze e outros materiais também.

Torii no bairro da Liberdade, em São PauloTorii no bairro da Liberdade, em São PauloA partir do período Nara (710-794), o budismo ganhou força no Japão, o que teve como consequência a construção de alguns dos maiores templos do país. Ao mesmo tempo, o xintoísmo também evoluiu seus rituais e arquitetura própria.

Exceto em breves períodos de conflito, as duas religiões coexistiram harmoniosamente. Santuários xintoístas eram construídos dentro da área de templos budistas para abrigar a divindade que protege o local.

Um grande exemplo desse sincretismo é o Kane no Torii, localizado próximo da entrada do templo Kinpusenji, na província de Nara. Ele foi feito do bronze que sobrou da confecção da grande estátua do Buda do Todaiji e tem em sua base a flor de lótus, um dos símbolos do budismo.

Em alguns santuários, há grande quantidade de toriis enfileirados, podendo chegar a milhares, formando praticamente um longo túnel. Esses portais, geralmente menores (aproximadamente dois metros de altura), são doados por devotos em agradecimento por saúde, prosperidade nos negócios e outros motivos.

O torii também é utilizado como ícone em mapas, indicando onde há santuários xintoístas.

O torii de Omiya Jinjya, na cidade de Sakurai, tem 32 metros de altura
O torii de Omiya Jinjya, na cidade de Sakurai, tem 32 metros de altura

Você pode se interessar também por...