Estreia do filme Para o Outro Lado

Para o Outro Lado (Kishibe no Tabi) chega ao cinema brasileiro

Para o Outro Lado (Kishibe no Tabi) chega ao cinema brasileiro

O filme Para o Outro Lado, dirigido pelo cineasta japonês Kiyoshi Kurosawa (Sonata de Tóquio, 2008, vencedor do prêmio do júri na mostra Um Certo Olhar no Festival de Cannes) fez parte da 39ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e estreia no Espaço Itaú de São Paulo no dia 26 de novembro de 2015, com a distribuição da California Filmes.

Para o Outro Lado (Kishibe no Tabi)

O marido de Mizuki (Yusuke) se afogou no mar há três anos. Quando de repente ele volta para casa, ela não fica tão surpresa. Em vez disso, Mizuki está apenas confusa com a demora. Ela concorda em acompanhar Yusuke em uma viagem e, juntos, seguem em uma jornada.

“Em japonês existe um verbo para o ato de acompanhar uma pessoa que está morrendo, ou para cuidar de uma pessoa até a sua morte. Ele é chamado “mitoru”. Talvez não seja possível traduzir todas as sutilezas dessa palavra em outras línguas”, comenta o diretor.

Ele explica que a experiência envolve “ficar ao lado da pessoa, delicadamente tomando sua mão e sentindo uma vaga intenção mútua sem nunca parar de olhar em seu rosto”.

Baseado em depoimentos de quem já passou pela situação, Kurosawa buscou interpretar “aqueles poucos dias, aquelas poucas horas que passam cara-a-cara com a pessoa, que constitui um momento precioso de partilha”.

Kiyoshi Kurosawa adaptou o romance Kishibe no Tabi (de Kazumi Yumoto) para as telonas

Kiyoshi Kurosawa adaptou o romance Kishibe no Tabi (de Kazumi Yumoto) para as telonas


Neste momento, o passado que o casal compartilhou, as partes de seus respectivos passados não conheciam um do outro e também o futuro que irão viver um dia juntos – todos estes momentos são evocados, avaliados e compreendidos. “O verbo ‘mitoru’ inclui todo este processo”, explica.

Para o diretor, adaptar a história para o cinema o permitiu usar o mundo da ficção a partir de uma reinterpretação de tempo e espaço “para qualquer que seja o tempo que o processo de despedida requer, narrando-o sob a forma de uma ‘viagem’. Esta é a premissa audaciosa sobre a qual o romance original Kishibe No Tabi foi construído”.

Acredito que o corpo e o espírito existem em diferentes planos. Por isso, sempre achei um pouco precipitado pensar que a morte leva ambos ao mesmo tempo. Sempre que pensei em retratar fantasmas, minha inspiração limitava-se a: eles se tornam fantasmas e fazem o possível para se vingar.

paraooutrolado

PARA O OUTRO LADO mostra uma forma nova de interpretar a morte, por meio de uma figura diferente do fantasma habitual. Levado pela morte temporária (a morte física), Yusuke permanece no mundo por mais de três anos a fim de preparar-se cuidadosamente para a sua verdadeira morte (a morte do espírito).

Sua esposa Mizuki o acompanha na “viagem” e completa a tarefa de acompanhar a sua morte. Nesse trajeto, ela conhece muitas pessoas, algumas das quais estão temporariamente mortas como ele.

Mas isso é realmente possível? Seja qual for o caso, os três anos de ausência de Yusuke acabam sendo preenchidos com seu retorno e Mizuki irá desfrutar de um sentimento de satisfação que ela ainda não conhecia. Seu passado em comum, o passado nunca compartilhado e seu futuro juntos serão reavaliados.

Parece-me que nenhum filme jamais descreveu tanto este tipo de “acompanhamento” (mitoru) quanto o ato de “ser acompanhado para a morte” de maneira tão rica e alegre como através da história deste casal.

Assista ao trailer

Para o Outro Lado - 768x1360

Para o Outro Lado (2015)

128 min. Ficção. Legenda: português
Título original: Kishibe no Tabi
Direção: Kiyoshi Kurosawa (Cure (1997), Pulse (2001) e Sonata de Tóquio (2008), vencedor do prêmio do júri na mostra Um Certo Olhar no Festival de Cannes)
Onde: Espaço Itaú de Cinema – São Paulo/Augusta
Endereço: Rua Augusta, 1.475, Consolação. São Paulo–SP
Mais informações: www.itaucinemas.com.br/espaco-itau/unidades/sp-augusta

Você pode se interessar também por...