Mostra Retrospectiva de Seijun Suzuki

Rio de Janeiro – 1 de fevereiro a 8 de março de 2020

Após inaugurar na sede de São Paulo, a retrospectiva do cineasta japonês Seijun Suzuki chega ao IMS Rio. Em cartaz de 1 de fevereiro a 8 de março, a mostra reúne 17 filmes, sendo 15 em cópias em 35 mm e dois em DCPs restaurados. A mostra, que é correalizada com a Fundação Japão, tem entrada gratuita, com distribuição de senhas 30 minutos antes de cada sessão.

Com uma carreira de cerca de 50 anos, Suzuki é autor de uma obra vasta e multifacetada, reverenciada por nomes como Jim Jarmusch e Quentin Tarantino. Marcada por uma estética surrealista, sua obra destaca-se pelas cores fortes e pelas cenas de ação. O cineasta começou sua carreira na década de 1950, nos estúdios Nikkatsu, que, na época, se dedicavam a filmes de pequeno orçamento e de alta popularidade, principalmente com histórias de máfia.

Desse período, a mostra apresenta Mire na viatura (1960), longa de ação com influência dos filmes de gângster do cinema americano. Outro destaque é Tudo vai mal (1960), filme sobre um grupo de adolescentes que vaga pelas ruas, roubando carros. Segundo o crítico Ruy Gardnier, em texto publicado na revista de programação do cinema do IMS, “a audácia de Suzuki em filmar jovens despojados vadiando na rua evoca o paralelo com Acossado, de Jean-Luc Godard, marco da nouvelle vague francesa lançado no mesmo ano”.

De 1963 a 1967, Suzuki radicalizou seu estilo, produzindo filmes que recusavam a verossimilhança, com cores chamativas e cortes abruptos. Dessa nova fase, a retrospectiva traz Detetive Bureau 2-3 (1963), primeiro filme seu protagonizado pelo ator Joe Shishido, e a grande referência de sua carreira, A marca do assassino.

Lançado em 1967, A marca do assassino conta a história de um matador profissional que vira alvo de uma perseguição. O filme foi taxado como “incompreensível” pelos estúdios Nikkatsu, que romperam o contrato com Suzuki. Hoje é considerado uma obra de vanguarda, como pontua Gardnier: “A depuração narrativa chega a um limite com A marca do assassino. [..] Suzuki leva o gênero ao máximo de sua expressividade, mas, ao fazer isso, não produz mais filmes de gênero, e sim obras abstratas e modernistas, em par com toda a reconstrução da linguagem cinematográfica que era operada pelos cinemas novos ao redor do globo nos anos 1960.”

Princesa Guaxinim, de de Seijun Suzuki


Após o rompimento com os estúdios Nikkatsu, Suzuki passou dez anos sem filmar. Quando retomou, passou a atuar como cineasta independente, com autonomia para realizar seus projetos. Nesse período, produziu Zigeunerweisen (1980), primeiro filme da sua famosa “trilogia de Taisho”, que faz referência ao Japão dos anos 1910-1920, e é marcada pelo caráter onírico. O longa-metragem, que está presente na mostra, venceu quatro prêmios da Academia Japonesa em 1981, incluindo os de Melhor Filme e Melhor Diretor.

A seleção traz ainda os dois últimos filmes de Suzuki: Pistol Ópera (2001) e Princesa Guaxinim (2005). No primeiro, o diretor cria uma reencenação de A marca de um assassino, mas com um viés abstrato. Já no segundo, Suzuki entra no campo da fantasia, ao contar a história de um príncipe que se apaixona por um guaxinim. Essas obras derradeiras são, como afirma Gardnier, “o dístico final de uma trajetória de um artista experimental que recupera elementos da cultura pop para criar beleza ríspida e abstrata”. –

Devido ao carnaval, de 17/2 a 2/3, haverá uma pausa na programação da mostra. As exibições serão retomadas a partir do dia 3/3. Veja abaixo a programação completa da retrospectiva.

Programação da Mostra Retrospectiva de Seijun Suzuki

    3 de março

  • 20h
  • A juventude da besta (Yaju no seishun)
    Seijun Suzuki | Japão | 1963, 92′, DCP

    5 de março

  • 20h
  • Princesa Guaxinim (Operetta tanuki goten)
    Seijun Suzuki | Japão | 2005, 101′, 35 mm

    6 de março

  • 20h
  • Portal da carne (Nikutai no mon)
    Seijun Suzuki | Japão | 1964, 90′, DCP

    7 de março

  • 16h30
  • Zigeunerweisen
    Seijun Suzuki | Japão | 1980, 144′, 35 mm

  • 19h30
  • Kagero-za
    Seijun Suzuki | Japão | 1981, 139′, 35 mm

    8 de março

  • 16h30
  • Princesa Guaxinim (Operetta tanuki goten)
    Seijun Suzuki | Japão | 2005, 101′, 35 mm

  • 19h
  • Yumeji
    Seijun Suzuki | Japão | 1991, 128′, 35 mm

Mostra Retrospectiva de Seijun Suzuki

Quando: 1 de fevereiro a 8 de março de 2020
Onde: IMS Rio
Endereço: Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Quanto: Todas as sessões têm entrada gratuita, com distribuição de senhas 30 minutos antes e limite de 1 senha por pessoa.
Mais informações: (21) 3284-7400