Lançamento do livro “No meio do mundo: as viagens de Teru e Kazu”

O novo livro do premiado autor nikkei André Kondo No Meio do Mundo: As viagens de Teru e Kazu levou 20 anos para ser escrito e lançado, representando uma viagem pelo mundo realizada em 2003. Publicado pela Telucazu Edições e Biografar, o livro de não ficção relata um périplo em busca do sagrado, que poderia ser considerado uma peregrinação de fé, não fosse também uma jornada filosófica.

Os protagonistas da obra, Teru e Kazu, são irmãos gêmeos apenas na aparência. Filhos de imigrantes japoneses no Brasil, carregam no rosto o olhar do Oriente. Mas e por dentro? Teriam nascido como uma Tábula Rasa como proposto pelo filósofo John Locke, tendo então crescido como autênticos brasileiros? Ou ainda escutariam dentro de si os sinos dos templos xintoístas? Ou os sinos da igreja na qual foram batizados teriam silenciado a religião de seus ancestrais? Brasileiros ou japoneses? Para além de fronteiras e nacionalidades, o que realmente importa para ambos é encontrar a resposta para esta pergunta: quem somos?

No topo do Monte Fuji no Japão e na base do Uluru na Austrália, os irmãos vivem epifanias que os levam a uma viagem em busca por verdades difíceis sobre a vida e a morte. Teru é fé e emoção, acredita na religião e não se importa com as respostas. Kazu é razão e ceticismo, e está mais interessado nas perguntas que a filosofia nos apresenta.

Assim, tão opostos, partem juntos em uma viagem que atravessa continentes, visitando os lugares mais sagrados do mundo, desde o berço do Budismo no Nepal e as águas sagradas do Hinduísmo no Rio Ganges na Índia, passando pelo Muro das Lamentações em Jerusalém até o as sombras das catedrais da Europa e dos minaretes do Oriente Médio. Também seguem as pegadas de filósofos como Sócrates em Atenas, Schopenhauer em Frankfurt, e Confúcio em Beijing, além de se assombrarem com antigas civilizações no Vale dos Reis no Egito, na cidade de Petra na Jordânia e em Angkor Wat no Camboja.

Não apenas seguiram os passos da humanidade, mas buscaram o silêncio interno nas travessias pelos desertos de Gobi e até do Círculo Polar Ártico. Adormeceram nas estepes da Mongólia e nas cavernas da Capadócia, despertando sob as estrelas do Caminho de Santiago. Fé ou razão? É possível conciliar extremos? Teriam encontrado Deus em algum desses caminhos? Ou apenas o Homem? O mais fascinante de toda essa jornada é que ela realmente aconteceu.

Sobre o livro “No meio do mundo: as viagens de Teru e Kazu”

A obra foi selecionada para publicação pelo concorrido Programa de Ação Cultural do Governo de São Paulo, fato que impulsionou o lançamento, visto que, sem o contrato assinado, talvez o livro demorasse mais alguns anos para ser concluído ou até jamais fosse publicado. A demora e a relutância em trazer esta obra ao mundo partiu da dificuldade em tratar de temas tão complexos como a religião e a filosofia. Afinal, são milênios de questões que possuem múltiplas respostas. Qual delas estaria correta?

Nesta jornada literária, o autor contou não apenas com a fé de Teru e a razão de Kazu, mas também, como em todo enredo de aventura, com a ajuda de amigos, incluindo um de infância, Fábio Bezerra de Brito, que se tornou historiador, com doutorado na USP. Também se juntaram a Doutora pela Unicamp Célia Sakurai, o monge budista e Doutor pela Unesp Francisco Handa e o filósofo e mestre pela Unifesp Hildon Vital de Melo, que realizaram uma revisão minuciosa dos fatos históricos e filosóficos contidos no livro, que são descortinados à medida que os passos dos gêmeos percorrem o grande livro do mundo.

Impressões sobre o livro

“Os irmãos Teru e Kazu são os melhores companheiros de viagem que podemos desejar. Eles nos oferecem uma perspectiva singular de locais sagrados e atrações culturais em várias partes do mundo. De Jerusalém a Kathmandu, de Santiago de Compostela a Angkor, somos guiados pelos irmãos a lugares fascinantes e repletos de significados e memórias. A visita é enriquecida por diálogos e interações, que vão descortinando o pano de fundo histórico de paisagens, monumentos e construções, ao mesmo tempo em que somos apresentados a crenças religiosas e ideologias filosóficas que vêm orientando caminhos existenciais até os dias atuais. O inusitado também surge, quando somos levados a lugares tão díspares como Ulan Bator ou Christiania. Seja por lugares icônicos ou que você provavelmente nunca ouviu falar antes, é uma viagem da qual saímos despertados para a reflexão, a descoberta, a busca por respostas que dão sentido à vida que vivemos agora.”

Fábio Bezerra de Brito – Doutor em Educação (USP) e Mestre em História Social (USP)

“No meio do mundo” é uma viagem que nos leva para lugares e tempos; por estradas, caminhos, ruas, becos; por avião, trem, ônibus ou a pé. Cada quilômetro, cada passo vai criando dúvidas e significados novos sobre a vida e as relações humanas. André Kondo nos conduz a lugares distantes e, ao mesmo tempo, por viagens ao nosso interior mais profundo. Não sairemos os mesmos ao final desta jornada. Ela nos induz a refletir, criando inquietações sem dar respostas. É aqui que está o maior mérito do livro.”

Célia Sakurai – Doutora em Ciências Sociais (UNICAMP)

“Viajar é percorrer caminhos desconhecidos por terra, pelo ar, pelas águas, tal como fizeram Teru e Kazu nesta peregrinação que nos conduz aos confins do mundo, do oriente fantástico ao velho ocidente. Nos passos dos gêmeos, o mundo em que as culturas entrecruzam a trazer revelações várias, formam-se o caleidoscópio, em cores e formas, que remonta a História. Em diálogos de pontos de vistas equidistantes, coloca-se o impasse: o mundo é maior que o imaginado. A viagem se torna o percorrer interno em mentes e corações.”

Francisco Handa – Doutor em História Social (UNESP) e Monge Budista

Sobre o autor

André Kondo é autor de 15 livros premiados, incluindo um traduzido para o japonês. Foi finalista do Prêmio Jabuti e vencedor de vários prêmios da União Brasileira de Escritores. Recebeu mais de 400 distinções literárias, incluindo em Portugal. Morou em países como a Austrália e o Japão, tendo viajado por mais de 60 países em busca de inspiração para a sua escrita. Também é vice-presidente da Associação Cultural e Literária Nikkei Bungaku, editor da Telucazu Edições e membro da Comissão de Atividades Literárias do Bunkyo e da Associação Brasileira de Ex-Bolsistas Gaimusho Kenshusei. Pela JBC publicou Contos do Sol Nascente, obra que recebeu o Prêmio Bunkyo de Literatura e foi selecionada pela Fundação para o Desenvolvimento da Educação, do Governo de São Paulo, e “Turma da Mônica: Lendas Japonesas”, Prêmio Guarulhos de Literatura, em uma parceria com Mauricio de Sousa.

EVENTOS de Lançamento de “No meio do mundo: as viagens de Teru e Kazu”

JUNDIAÍ/SP
Quando: 13 de junho de 2023 (terça) – 19h às 21h
Onde: Biblioteca Pública Municipal Prof. Nelson Foot, Av. Dr. Cavalcanti, 396

BRAGANÇA PAULISTA/SP
Quando: 14 de junho de 2023 (quarta) – 21h
Onde: Sede da Associação de Escritores de Bragança Paulista – ASES, R. Cel. Leme, 35 – Centro

As inscrições (vagas limitadas) para as palestras sobre o livro e a viagem são gratuitas, e podem ser realizadas pelo site, que fornece mais informações:
www.nomeiodomundo.telucazu.com

Os participantes, caso desejem, também poderão adquirir a obra com desconto de 60%, por apenas R$ 20,00 no lançamento.

NO MEIO DO MUNDO – As viagens de Teru e Kazu

Autor: André Kondo
Editora: Telucazu Edições e Biografar
Gênero: Não Ficção, Relato de Viagem, Ensaio
Tamanho: 15,5 X 22,5 cm
Páginas: 448
ISBN: 978-65-86928-73-0

Redação Made in Japan Redação do site Made in Japan
Conteúdo Relacionado

Compre agora na Amazon

Seu Nome em Japonês

Cotações de Moedas

  • Dólar: R$ 5,2269
  • Euro: R$ 5,5708
  • Iene: R$ 0,0338
Fonte: BCB (19/04/2024)
Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para personalizar publicidade e produzir estatísticas de acesso de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.