#Crowdfunding: HQ ‘9 horas’ leva a cultura japonesa ao Catarse

“Um casal contra tengus, samurais, colegiais, robôs gigantes, kaijus e um bebê gigante. Em Tóquio!”.
9horas_illu_01

Esse é o mote da história 9 Horas do ilustrador Rodrigo Solsona, que criou um projeto no Catarse (site de financiamento coletivo) para viabilizar o lançamento de seu próprio livro baseado em suas experiências de viagem pelo Japão.

Na história, K e M estão viajando pelo Japão e se vêm envolvidos no jogo de um Tengu, em que as realidades mudam a cada 9 horas.

O único lugar em que eles estão a salvo para descansar, é o hotel cápsula.

Cena do livro '9 Horas' na capital do Japão, onde tudo começa.

Cena do livro ‘9 Horas’ na capital do Japão, onde tudo começa.

“O livro se desenrola por essa aventura, baseada na cultura pop japonesa e videogames, onde os dois devem chegar até a última fase do jogo”, explica o autor ao revelar que o título do livro é uma referência ao hotel cápsula 9 Hours em que ficou hospedado durante sua estada em Tóquio e em Kyoto.

“Ele é uma espécie diferente de hotel cápsula porque você tem 9 horas pra usá-lo: 1 para banho e descanso, e oito para dormir. O ambiente é totalmente futurista, todo em preto e branco, com cápsulas luminosas e ambiente extremamente clean. Quando ficamos nesse hotel, a diferença de ambiente entre dentro e fora dele, me chamou muita atenção e fiquei determinado a colocar esse conceito de um lugar “a salvo” do caos visual das ruas no livro”, comenta.

 “Cenários antigos com detalhes dos dias atuais, os trens, as luzes. Era tudo uma grande mistura que só vi por lá"

“Cenários antigos com detalhes dos dias atuais, os trens, as luzes. Era tudo uma grande mistura que só vi por lá”


A partir dessa experiência e das três semanas de viagens pelo Japão, o paulistano recriou os ambientes por onde passou com “uma camada de caos e referências pop sobre a história”.

Entre os momentos marcantes da viagem, o autor destaca a caverna de Miyamoto Musashi em Kumamoto, as viagens de trem bala e o portal da ilha de Miyajima. “Cenários antigos e com arquitetura super trabalhada, mas com detalhes dos dias atuais, as vending machines em todo canto, os trens, as luzes”, avalia, “era tudo uma grande mistura que só vi por lá”.

O financiamento

Cada hora é contada num projeto de financiamento coletivo. Os apoios vão se somando ao montante até a data limite estipulada. O projeto do 9 Horas fica em aberto até as 23h59m59s do dia 25 de outubro de 2015 com o objetivo de atingir pelo menos R$ 25 mil.

O valor arrecadado será destinado para a impressão dos livros, a produção de recompensas (artes exclusivas, sketches, posters de alta qualidade, sketchbooks originais e versões digitais) e o retorno ao site Catarse.

Conheça os detalhes no site www.catarse.me/pt/9horas

Para quem quiser acompanhar os bastidores do trabalho, é só acessar este link para ver o processo de produção e as curiosidades.

Quem é Magenta King

Capa da revista em quadrinhos impressa 5/5 produzida com Dalton Soares e Go Carvalho, do grupo Bimbo Groovy

Capa da revista em quadrinhos impressa 5/5 produzida com Dalton Soares e Go Carvalho, do grupo Bimbo Groovy

Também conhecido como Magenta King, Rodrigo Solsona (30) faz parte de um coletivo de quadrinistas brasileiros chamado Bimbo Groovy e começou a desenhar quando ainda era criança.

Depois de trabalhar por dez anos com design editorial e de embalagem, resolveu sair do estúdio em que trabalhava para investir na carreira de ilustrador e quadrinhista. “Já publiquei dois quadrinhos impressos, em parceria com dois amigos Dalts e Go Carvalho: “EP”, sobre um guitarrista que luta com a sua metade mais sombria, num quadrinho sem falas; e “5/5”, sobre um grupo de super sentais.

Entre os mangás preferidos de Magenta King estão Gogo Monster e Tekkonkinkreet, ambos de Taiyo Matsumoto. E as principais referências artísticas orientais são: Katsuhiro Otomo, Koji Morimoto, Taiyo Matsumoto e Katsuya Terada, além do pintor Hiroshige e do sul-coreano JungGi Kim.

Você pode se interessar também por...