Lançamento do documentário Tomie

Em almoços de domingo com a família, em jantares entre amigos ou entre os pincéis, Tomie Ohtake mostrou seu lado irreverente à cineasta Tizuka Yamasaki. As cenas do cotidiano da artista japonesa (naturalizada brasileira) compõem o novo documentário “Tomie”, que foi lançado no dia 15 de dezembro, no MIS (Museu da Imagem e do Som), em São Paulo.

Tomie sempre sorridente, cumprimentou os convidados no lançamento do documentárioTomie, sempre sorridente, cumprimentou os convidados no lançamento do documentárioTomie completou 101 anos em novembro de 2014 e, mesmo com as dificuldades que o tempo lhe impôs, ela continua trabalhando e produzindo obras em seu ateliê. Para o documentário “Tomie”, Tizuka contou que levou 5 anos para produzir tudo, desde a concepção do projeto até o lançamento. “A ideia surgiu na época das comemorações do centenário da imigração japonesa no Brasil (em 2008). Me pediram para fazer um filme e eu falei que já tinha feito dois (Gaijin e Gaijin II). Então falei que, se fosse para fazer de um personagem, tinha que ser sobre a Tomie, porque acho que ela é uma das figuras mais proeminentes, mais criativas, mais talentosas da comunidade nipo-descendente”, contou Tizuka.

Fazer o documentário fez Tizuka conhecer melhor a artista que já admirava. Elas se conheceram no lançamento do primeiro longa da cineasta, Gaijin – Caminhos da Liberdade, e desde então sempre se encontravam em eventos. “Já a conhecia, mas neste documentário descobri com a Tomie, a simplicidade, a perseverança, uma alegria fantástica de viver e o bom humor, que são fundamentais para ter uma vida longa”, completou.

Veja um trecho do documentário “Tomie”, de Tizuka Yamasaki


Vídeo: MIS (Museu da Imagem e do Som)