Filme ‘Estação Liberdade’ estreia nos cinemas

Filme estreia nos cinemas de São Paulo
Filme estreia nos cinemas de São Paulo

Mario Kubo é brasileiro, neto de japoneses (sansei) que não tem nenhum contato com a cultura dos avós. Totalmente ocidentalizado, o protagonista se depara com o seguinte dilema: não se sente brasileiro nem japonês.

Logo após o grande terremoto que abalou o Japão em março de 2011, Kubo recebe uma carta em japonês mas não consegue entender o que está escrito. A partir de então, o personagem parece entrar em um processo de introspecção que começa no bairro da Liberdade, no centro de São Paulo.

“Eu mergulhei bastante nesse universo para escrever. Até me hospedei no hotel Glória (que não é exatamente o hotel do filme), que fica na Liberdade. Sempre fui muito interessado pela cultura japonesa”, disse o roteirista André Godoi. Ele explicou que o roteiro demorou cerca de sete anos para ficar pronto pois foi escrito por quatro pessoas (Giuliano Cedroni, André Godoi, Fernanda Guerreiro e Caíto Ortiz) e envolveu pesquisas e participação de cada um em diferentes momentos.

O produtor Francesco Civita disse que todo o processo desde a captação de recursos até o lançamento levou pelo menos dez anos e lembrou que a participação de todos os envolvidos foi muito importante, os patrocinadores, atores, a comunidade nipo-descendente, o próprio bairro da Liberdade que serviu de cenário para a maior parte do filme. “O aprendizado é que a viagem é mais legal que o destino. A viagem é o próprio destino. O filme é um reflexo da nossa história, do nosso estilo”, disse Civita.

Para o diretor Caíto Ortiz, a ideia de abordar a temática da identidade dos nipo-descendentes partiu da observação de que muitos acabam se sentindo deslocados, entre a cultura brasileira e japonesa. “Eu sou um paulistano e como todo paulistano eu cresci com japoneses à minha volta. Quando eu era pequeno, meu melhor amigo era o Marcinho Kubo e eu ia sempre para a casa dele. E eu via que a casa dele era diferente, a comida era diferente, o jardim dele era diferente, essa questão sempre andou comigo”, comentou.

“Identidade é um tema que eu gosto muito e nos meus filmes tem sempre uma certa busca pela identidade. No fundo todo mundo está atrás da sua, querendo encontrar seu lugar no mundo”, disse Ortiz. Sobre a escolha de atores, ele disse que foi difícil “porque existe pouco espaço para eles. A maioria dos atores desse filme não é profissional, mas são atores incríveis e que brilharam na tela”, completou o diretor.

Em 2013, o filme foi exibido pela primeira vez em São Paulo, durante a 37ª Mostra Internacional de Cinema. Este é o primeiro longa-metragem de ficção dirigido por Caíto Ortiz, que já havia sido premiado com o filme Motoboys – Vida Loca que recebeu o Prêmio de Público de Melhor Documentário Brasileiro na 27ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, em 2003.

O filme ‘Estação Liberdade’ estreia no dia 14 de agosto nos seguintes cinemas de São Paulo:

Espaço Itaú Frei Caneca

Endereço: Rua Frei Caneca, 569 – Consolação, São Paulo – SP
Sessões: 20h
Site: www.itaucinemas.com.br/espaco-itau/unidades/sp-frei-caneca

Cinemark Santa Cruz

Endereço: Rua Domingos de Moraes, 2564 3º piso – Vila Mariana – São Paulo-SP
Sessões:19h30 / 22h
Site: www.cinemark.com.br/programacao/sao-paulo/metro-santa-cruz/1/684

Para ficar por dentro das próximas exibições, acompanhe a página do Facebook “Estação Liberdade”

Estação Liberdade

Ano: 2013
Português
País: Brasil, Japão
Duração: 92 min
Diretor: Caíto Ortiz
Roteiro: Giuliano Cedroni, André Godoi, Fernanda Guerreiro e Caíto Ortiz
Elenco: Cauê Ito, Fabiula Nascimento, Carolina Sudati, Kentaro Inoue, Paulo Tsuchiya, Eduardo Chagas e Renata Sayuri

Assista ao trailer


Vídeo: Estação Liberdade

Você pode se interessar também por...