Kimi Nii

Kimi Nii

Foi na minha primeira exposição na Monica Filgueiras Galeria de Arte, que conheci a Tomie. Nesta exposição, senti um acolhimento generoso da admirável artista que escolheu uma peça minha. Considero este momento o marco do início da nossa amizade, que com o tempo foi se estreitando, de uma forma muito gostosa.

Até então, a Tomie era uma artista talentosa, mulher, japonesa, com quem eu me identificava também na linguagem artística.

Ela foi também importante como referência que me alentou quando pensava, nos meus 32 anos, se era muito tarde para começar uma nova atividade como a cerâmica, a partir do zero. Eu me lembrava que ela preferiu primeiro criar seus filhos, para depois se entregar às artes. A nossa amizade deu frutos em muitos momentos do mais alto deleite cultural. Juntas fomos assistir a óperas, espetáculos de dança contemporânea, todos os butôs, exposições, concertos, festas e outros encontros. Admiro o seu espírito jovem, aberto para o novo, curiosa, talentosa e elegante, sempre.