Conheça os tradicionais meses do ano do Japão

Atualmente, no Japão, os meses são nomeados por um número acompanhado pelo ideograma de “mês”. Assim, janeiro é “ichi gatsu” (primeiro mês), fevereiro é “ni gatsu” (segundo mês) e assim por diante.

No período Heian (794-1185), o país utilizava o calendário lunissolar, com o ano dividido em 12 meses. Porém, naquela época, o nome dos meses era carregado de significado, geralmente relacionado à natureza e às atividades cotidianas.

Hoje, essa denominação tradicional aparece mais frequentemente em poemas, músicas e filmes ambientados no passado, por exemplo, além de inspirar nomes de personagens.

Muitos apresentam a terminação “tsuki” ou “zuki”, que é a outra leitura do ideograma de “mês”, que, por sua vez, também significa “lua”.

Mutsuki (janeiro) = mês da harmonia
Kisaragi (fevereiro) = mês de vestir roupas extras (é inverno no Japão)
Yayoi (março) = mês do crescimento, renovação
Uzuki (abril) = mês da unohana (flor comum no Oriente)
Satsuki (maio) = mês de plantar arroz
Minazuki (junho) = mês sem água (curiosamente, junho é um dos meses em que mais chove no Japão)
Fumizuki (julho) = mês das letras, da literatura
Hazuki (agosto) = mês das folhas
Nagazuki (setembro) = mês longo, da lua cheia
Kannazuki (outubro) = mês sem deuses. Se estiver próximo do santuário Izumo Taisha, o nome do mês é Kamiarizuki, que significa “mês com deuses”, já que a lenda diz que os deuses se encontram lá nessa época, deixando as outras partes do país “sem deuses”
Shimotsuki (novembro) = mês do frio (início do inverno no Japão)
Shiwasu (dezembro) = mês dos monges correndo. No fim do ano, os monges estavam ocupados com os preparativos do Ano Novo

Você pode se interessar também por...