Banho de ofurô

Banho de ofurô

Banho de ofurô


Buscar o bem-estar se tornou uma importante atitude em uma época marcada pelo estresse. Um banho relaxante de ofurô, como é chamada a tradicional tina de madeira, é um poderoso aliado para quem busca uma vida mais equilibrada. Melhor ainda se ele estiver bem ao seu alcance, dentro de casa. Assim, a agenda apertada demais para ir a uma clínica de terapia corporal ou de estética é compensada pela praticidade, além de ajudar a dar um ar mais sereno ao ambiente.

E engana-se quem imagina que o seu banheiro não combina ou não comporta um ofurô. Vale desde ganhar uns centímetros roubando espaço de outros ambientes da casa até buscar inusitadas alternativas, como no quarto, terraço, quintal e na sala. Enfim, criatividade é o que não falta para os profissionais de arquitetura e decoração.

Em casa
Isso não significa que basta contratar um especialista e deixar tudo em suas mãos. Um bom profissional observa não apenas o ambiente da casa, mas, principalmente, o perfil e a personalidade dos moradores. “O ofurô precisa trazer harmonia. Eu vejo as necessidades do cliente em primeiro lugar. Se é casado, se tem filhos, quantas pessoas vivem na casa, e só então observo as condições do ambiente”, ressalta o arquiteto e proprietário do ateliê Will Arte, Wilson Alves, que fabrica ofurô de cedro sob medida. “Os modelos que fazemos são extremamente lisos, polidos. A sua estrutura também permite que a tina não resseque”.

Para quem sonha em ter um ofurô em casa, Will afirma que todo banheiro pode ter um. O espaço mínimo de 85x85cm, ou de 80x90cm, já é o suficiente. O preço, no entanto, é salgado – chegando a 7 mil reais. Embora não seja o ideal, pode até mesmo ser dentro de um box, logo abaixo do chuveiro, um facilitador na hora de encher o ofurô.

A história
OLYMPUS DIGITAL CAMERAPouco se sabe sobre qual é a origem exata do ofurô, seja por questões de higiene, objetivos medicinais, religiosos ou terapêuticos. Há quem diga que os primeiros povos a utilizar o banho de imersão como terapia foram os indianos. Mas há também os que afirmam que tudo começou na China e, somente então, os japoneses passaram a adotá-lo.

De qualquer forma, no Japão, o ofurô faz parte do cotidiano da população há milênios. Tanto que existem as famosas casas de banho coletivo espalhadas pelas cidades. Há milhares de anos, os japoneses descobriram que mergulhar em águas ricas em sais minerais proporcionava alívio e cura para vários males. Essa descoberta se deve também pelo fato de o país estar situado em uma região vulcânica, fértil em fontes termais. Na filosofia xintoísta, o ofurô também é um ritual de purificação espiritual.

No Brasil, o banho de ofurô foi trazido pelos imigrantes japoneses. Mais do que um costume, era de uma extrema necessidade das comunidades japonesas poderem entrar em um banho de imersão após um dia duro de trabalho. Segundo o livro O Imigrante Japonês, de Tomoo Handa, tomar um belo e tranquilo banho de ofurô era um desejo que também contribuiu para que os japoneses quisessem montar o seus núcleos de colonização, já que esse hábito contrariava os costumes brasileiros.

COMO PREPARAR O SEU BANHO

OLYMPUS DIGITAL CAMERABanho de ofurô é sempre uma delícia, ainda mais se somar à água aromas superperfumados. A terapia com ofurô alivia o estresse, melhora a circulação sanguínea, alivia dores musculares, entre outros benefícios. E ter uma banheira particular só facilita esse processo terapêutico.

Mas alguns tipos de banho exigem certos cuidados e um conhecimento extra sobre as indicações e contraindicações de cada erva, óleo essencial ou sais. A temperatura ideal para o banho terapêutico é 37°C.

“A água tem o poder de dilatação. Por isso, quem tem a pressão baixa ou alta precisa ter cuidado redobrado. E o banho tem de durar de 20 a 30 minutos”, aconselha Alice Keiko Fujiura, proprietária da rede de clínicas Keiko’s Prevenção e Saúde. Habituada a banhos de ofurô desde pequena, Keiko estuda as terapias orientais há mais de 35 anos, inclusive com cursos no Japão, na China e na Índia.

“Quem sofre de epilepsia tem de tomar muito cuidado também, pois, dependendo da erva e da temperatura da água, pode desencadear uma reação negativa do corpo”, ressalta a aromaterapeuta Beatriz Yoshimura, proprietária da Aromalife.

Receitas de banhos

Confira as dicas de Eliane Dornellas, especialista em fitocosméticos e aromaterapia, de como usufruir ao máximo os benefícios proporcionados pela terapia com o ofurô:

Banho antiestresse
Esquentar a água do banho a 35°C, preparar uma infusão com 1 litro de água e 3 colheres (sopa) de camomila desidratada. Pingar duas gotas de óleo essencial de lavanda e duas gotas de óleo essencial de laranja em uma colher de mel. Misturar bem e adicionar à infusão já preparada e morna.

Banho para TPM
Esquentar a água do banho a 37°C, preparar uma infusão com 1 litro de água e 3 colheres (sopa) de erva-doce. Pingar duas gotas de óleo essencial de lavanda e duas gotas de óleo essencial de gerânio em uma colher de leite em pó de soja.

Banho antirradicais livres
Esquentar a água do banho a 38°C, preparar uma infusão com 1 litro de água e 3 colheres (sopa) de sete sangrias. Pingar duas gotas de óleo essencial de lavanda e duas gotas de óleo essencial de junípero em três colheres de argila verde. Misturar bem e adicionar à infusão já preparada e morna. Este banho deve ser tomado bem cedo, práticas de alongamento e automassagem são indicadas após o banho, assim como o uso de hidratantes corporais. 
Para melhorar sua eficiência, a adição da infusão deve ser realizada na segunda etapa deste banho, sendo a primeira etapa feita apenas com a imersão em água aquecida por dez minutos, saída da banheira para realização de uma esfoliação corporal com argila e bucha vegetal, para retirada de células mortas da pele. Após a eliminação da esfoliação, retornar à água da banheira, com 
o corpo limpo, onde a infusão preparada anteriormente é adicionada, devendo a pessoa permanecer por mais dez minutos em imersão. 
Ao sair hidratar a pele.

Esta reportagem foi publicada originalmente na revista Made in Japan 138, de março de 2009

Você pode se interessar também por...