Cidade nega proposta de prefeito japonês de trabalhar sem salário

Enquanto muita gente briga por um aumento de salário, o prefeito da cidade de Utazu (Kagawa), Toshihiro Tanikawa, propôs trabalhar por um ano sem salário. A ideia, porém, foi barrada, terça-feira 14, por um comitê da câmara municipal local.

Em vez de ficar um ano inteiro sem pagamento, Takinawa trabalhará por dois anos com metade do salário. O projeto de lei deve ser aprovado em 17 de dezembro.

O prefeito pretendia reverter seu salário anual de 12 milhões de ienes (equivalente a 243,6 mil reais) em aparelhos de ar-condicionado para as três escolas elementares da cidade.

Tanakawa expressou sua frustração, afirmando que se não tiver seu salário anual cortado totalmente, as pessoas não entenderão sua vontade de cumprir totalmente as promessas de campanha.