Mafiosos são presos por extorquir ex-lutador de sumô

A polícia de Tokyo prendeu três mafiosos nesta quarta-feira sob suspeita de terem extorquido dinheiro do ex- lutador de sumô Kyokushuzan, obrigando-o a deixar o esporte, disseram fontes policiais.

Naohiko Miyamoto, 62 anos, ex-membro da gangue mafiosa Sumiyoshi-kai; Motomi Fujinami, 36 anos, e Shinobu Maki, 36, negaram as acusações.

Segundo os investigadores, Miyamoto apresentou-se como representante do lutador mongol Kyokushuzan, 34 anos, para uma mineradora sul-coreana que queria ter os direitos de exploração de uma mina na Mongólia.

Após Miyamoto receber o dinheiro da companhia como parte dos supostos serviços de favorecimento, os direitos de exploração da mina passaram para uma empresa chinesa.

Miyamoto, então, incitou a mineradora sul-coreana a pedir o dinheiro de volta a Kyokushuzan. Os mafiosos passaram a cobrar do lutador em três ocasiões entre outubro e novembro, disse a polícia. Eles teriam dito: “mostre algo tangível. Se não puder fazê-lo, não há opção a não ser se aposentar”.

Kyokushuzan, cujo nome verdadeiro é Davaa Batbayar, encerrou sua carreira em novembro alegando sofrer de problemas cardíacos. “Se não fosse esse incidente, eu não teria saído do sumô”, disse o lutador.