Karaokê causa riscos à garganta

Aos que gostam de soltar a voz no karaokê, os médicos fazem um alerta preocupante. O excesso na cantoria pode levar ao surgimento de pólipos nas cordas vocais que, se não tratados, podem formar caroços na garganta.

Essas inflamações, porém, não correm o risco de virar um tumor cancerígeno, mas podem causar a perda da voz. Sua retirada só ocorre com extração cirúrgica. Médicos alertam para que cantores amadores não forcem demais suas cordas vocais durante as canções.

“Abusar do karaokê uma noite já basta para o aparecimento de pólipos”, diz o otorrino Toshiyuki Kusuyama à rede BBC.

Especialistas dizem que o surgimento dessas inflamações está ligada ao cigarro e ao uso do ar-condicionado nos karaokê-box – que deixam as cordas vocais secas. O álcool também facilita a formação do caroço, pois agride a membrana.

Mas não é preciso parar de ir ao karaokê, diversão preferida de mais 47 milhões de japoneses, para proteger a garganta. Os médicos recomendam que se chupe uma bala antes de cantar e que se evite conversar com os amigos enquanto espera sua vez. Além disso, deve-se limitar a cantoria para, no máximo, dez músicas por noite.

De acordo com Centro de Voz de Osaka, o número de cirurgias para retirada de pólipos tem aumentado nesses últimos anos. Só em 2006 foram 170, o dobro de 2004. Esse número tem crescido principalmente entre os jovens.