Japão não permitirá passagem de armas nucleares

O governo japonês reiterou que o Japão não permitirá que navios carregando armas nucleares passem por águas japonesas em nenhuma circunstância, contradizendo uma declaração feita mês passado pelo chefe de defesa Fumio Kyuma que dissera que a passagem só seria permitida em casos de emergência.

Na quarta-feira, o governo emitiu uma nota de esclarecimento sobre o caso em resposta ao líder do Partido Social Democrata Mizuho Fukushima. “Qualquer tentativa de manter armas nucleares no nosso país, incluindo a passagem de navios militares norte-americanos com elas em nossas águas, é assunto de consultas de prioridade,” entre o Japão e os Estados Unidos sob o tratado de segurança bilateral, diz o documento.

“Em uma eventual consulta, o governo invariavelmente recusará o pedido”, complementa. Kyuma disse no Comitê de Segurança da Câmara dos Representantes, no dia 24 de novembro, que a passagem de navios militares carregados com armamento nuclear em águas japonesas “seria inevitável em um caso de emergência”.

De acordo com os três princípios não-nucleares, o Japão não pode manter, produzir ou permitir a presença de armamento nuclear em seu território. Já o tratado de segurança bilateral permite que o país recuse a passagem de navios com armas nucleares.