Aprovadas polêmicas leis de educação e de criação de ministério

O Senado do Japão aprovou na sexta-feira o recurso que revisará a lei básica da educação e reformará o sistema de defesa do país. Assim, será permitido que se ensine o patriotismo nas escolas e a elevação de status da Agência de Defesa para Ministério.

A revisão da lei básica de Educação, inalterada desde 1947, quando foi criada, instituirá a defesa e o amor à nação nas aulas. Opositores dizem que essa medida criaria uma juventude facilmente manipulável, além de resgatar os ideais imperialistas pré-Segunda Guerra.

A votação teve aprovação de 131 votos contra 99, tendo o dominante Partido Liberal Democrata e o Novo Partido Komeito como principal entusiastas da emenda. No outro campo, o Partido Democrata do Japão lidera a oposição.

Os 18 artigos introduzem a idéia de que o respeito ao espírito público é um preâmbulo e pede pelo desenvolvimento “de uma atitude de respeito com as tradições e à cultura e amor à nação e à terra natal que lhe acolheram” como imprescindível para a educação.

Enquanto isso, a reforma que muda o status da Agência de Defesa, criada em 1954, lhe dá maior poder político e participação maior no orçamento. Pessoas contrárias à mudança dizem que ela vai contra à constituição pacifista, já que as missões fora do Japão ganhariam mais importância.