Base norte-americana é motivo de processo contra governo

Parentes de um japonês falecido que trabalhava na base norte-americana de Okinawa querem uma indenização de 30 milhões de ienes do governo do Japão. Eles alegam que o trabalhador contraiu câncer de pulmão por ter sido excessivamente expostos a amianto, segundo o advogado da família.

Este será o primeiro processo judicial por danos que o gabinete enfrentará na província de Okinawa, que abriga a maioria das forças norte-americanas no Japão. Pedidos similares foram feitos na província de Kanagawa, que hospeda as duas maiores bases dos EUA.

Um plano de ajuste doméstico complementar de 1962, presente no Acordo de Status da Força Japão-EUA, permite que pessoas prejudicadas pelas atividades do exército norte-americano processem o governo japonês.

A vítima do caso morreu de câncer de pulmão em 2001, após servir como mecânico na base de Okinawa entre 1952 e 1996. Ele foi exposto por amianto de 1964 a 1996.

Em fevereiro, uma autoridade ligada ao Ministério do Trabalho em Naha reconheceu o homem como trabalhador da base norte-americana.