Executivos da Mitsubishi são absolvidos de falsificação de relatório

Três ex-executivos da Mitsubishi foram absolvidos de culpa pela Corte de Yokohama por enviar um relatório falso sobre calotas defeituosas em caminhões para evitar um recall dos veículos. A mensagem veio à público após um acidente ocorrido em Yokohama em janeiro de 2002 envolvendo um caminhão da empresa.

O juiz Hiroshi Kojima disse que os réus não são culpados porque o Ministro do Transporte, Terra e Infra-estrutura não havia pedido uma ordem formal para que os executivos produzissem o relatório. Apesar disso, o juiz determinou que o documento enviado pela montadora escondeu dados sobre a frágil estrutura das calotas.

Yaichiro Yamashiki, chefe dos promotores do Distrito Público de Yokohama, disse que irá apelar da decisão. A defesa alegou que o ministro não pediu por um relatório oficial da empresa e que, além disso, o documento não foi falsificado porque defeitos na calota geralmente acontecem com o desgaste ou com a falta de manutenção.

Já os acusadores dizem que podem ser prevenidos usando calotas maiores, o que foi omitido no relatório. Os promotores exigem o pagamento de multa de 200 mil ienes, a pena mais pesada nesse caso, para os três executivos.