Japão banirá bens de luxo para Coréia do Norte

O governo japonês adotou, nesta terça, uma lista de 24 bens de luxo que serão impedidos de ser exportados a Coréia do Norte. A medida começará na quarta-feira e segue a resolução do Conselho de Segurança da ONU referente ao teste nuclear de 9 de outubro.

Aproximadamente 1,1 bilhões de ienes em bens – incluindo carnes nobres, caviar, tabaco, peles de animais, carros, motocicletas, jóias, equipamentos de áudio e vídeo e objetos de arte – foram enviados a Coréia do Norte em 2005. Isso equivale a 16% das exportações do Japão.

A medida também proíbe, baseada na Lei de Controle de Comércio Exterior, que empresas japonesas e pessoas físicas mandem artigos de luxo a Pyongyang por meio de um terceiro país, de acordo com o Ministro da Economia, Comércio e Indústria.

Quem violar a proibição poderá ficar detido por até três anos ou pagará uma multa de 1 milhão de ienes, ou mesmo os dois. Fontes do ministério disseram que os 24 bens foram selecionados com base no fato de que eles não são consumidos pela maioria da população, mas pela elite do país. Na lista estão barcos, iates, perfumes, instrumentos musicais, carpetes, licor e caneta tinteiro.