Japão disputa produção de gás com China

O governo japonês tem protestado com a China desde que o país iniciou a produção de gás em um disputado campo ao leste do mar chinês, disse Yasuhisa Shiozaki, chefe da secretaria do gabinete. O Japão detectou a presença de chamas na plataforma marítima de Bajiaoting, que se encontra no campo de gás em Pinghu, que está no lado chinês da linha que separa os mares dos dois países.

“Nós temos um enorme interesse e preocupação sobre o fato de o lado chinês estar mantendo presença intensa e desnecessária para desenvolver a obra”, disse Shiozaki. Ele completou que o Japão e a China “compartilham maior entendimento para se buscar a paz, cooperação e amizade no leste do mar chinês. Enquanto mantivermos o direito de defender nossa soberania, gostaríamos de encontrar uma solução através do diálogo o mais rápido possível”.

Após o Japão confirmar os sinais de produção de gás no dia 1 de novembro, o vice-ministro do Exterior Shotaro Yachi entregou uma reclamação formal à China e no dia seguinte ao Embaixador chinês no Japão, Wang Yi. Porém, ele respondeu que não poderá atender às exigências do Japão.

Enquanto a China toca os seus projetos no seu lado da fronteira, o Japão pediu para que o governo suspenda a produção com receio de que o país tome recursos do lado japonês. Pequim diz não reconhecer a linha mediana que separa os dois países e que a produção no campo está de acordo com a Zona Econômica Especial (ZEE).