Duas pessoas são presas em fraude ligada à ‘família imperial’

Policiais prenderam, nesta segunda-feira, um homem e uma mulher sob suspeita de enganarem um intérprete, tirando 10 milhões de ienes (180 mil reais) dele, em 2000. A dupla disse a ele que faziam parte da família imperial japonesa e que o dinheiro seria usado em um projeto de assistência envolvendo a família.

De acordo com a policia, o intérprete deu 10 milhões em dinheiro após Masaki Shibata, de 62 anos, e Michiko Ogata, de 74, contarem a história de que a família imperial estaria interessada em construir escolas para refugiados do Tibet. Os suspeitos, ambos moradores desempregados de Tokyo, disseram à vítima que eles planejavam adquirir mais dinheiro revendendo títulos da dívida alemã que a família possui e pediram para que o intérprete arcasse com parte dos fundos, disse a polícia.

Para deixar a história mais verdadeira, Michiko disse que era irmã de Sadako Ogata, a mulher que comanda o Escritório da Comissão de Refugiados da ONU.