Chanceler japonês quer debate sobre armas nucleares

O Ministro das Relações Exteriores, Taro Aso, declarou nesta quarta-feira que o país deveria abrir um debate sobre se deveria desenvolver suas próprias armas nucleares após o teste atômico realizado no dia 9 pela Coréia do Norte, apesar de destacar que o governo não apoiava tal medida.

Aso disse a um comitê parlamentar que o governo quer manter os princípios de não possuir, desenvolver ou permitir armas nucleares no território japonês e destacou sua adesão à posição, uma semana após causar polêmica ao dizer que o Japão deveria considerar a opção nuclear para conter uma ameaça de Pyongyang. Mas ele disse hoje que a situação de segurança regional mudou desde a adoção dos princípios nos anos 60, por isso era a favor do debate “sobre se deveríamos ou não ter bombas nucleares ou se deveríamos manter os três princípios”.

Renúncia

O ministro sul-coreano de Defesa, Yoon Kwan-ung, apresentou hoje sua renúncia em meio à crise com a Coréia do Norte, informou a presidência sem informar o motivo da demissão. A agência Yonhap, citando uma fonte não identificada, disse que o presidente Roh Moo-hyun já estava estudando mudanças na área de segurança e de relações exteriores.