Satélite japonês vai estudar o Sol

A Agência de Exploração Aeroespacial do Japão (Jaxa) lançou nesse sábado o satélite de observação solar Solar-B, batizado Hinode (“aurora”), que deverá estudar erupções violentas que ocorrem na superfície do Sul e outros fenômenos solares. O foguete MV que carregava o satélite de 900 kg foi lançado da base de Uchinoura na manhã de sábado; uma hora depois de o foguete entrar na órbita desejada, o satélite se separou do veículo de lançamento.

O Hinode foi desenvolvido por cientistas japoneses, norte-americanos e britânicos e seus três telescópios deverão observar o Sol por três a dez anos. “Muitas das propriedades do Sul continuam a ser um mistério. O satélite vai ficar continuamente à luz do Sol, durante a maior parte do ano. Por isso, esperamos que ele possa reunir dados que nos permitam entender melhor o Sol”, disse o executivo da Jaxa Yasunori Motogawa.

Os pesquisadores estão especialmente interessados em saber porque as camadas mais externas da atmosfera solar atingem temperaturas de até 3 milhões de graus Celsius, enquanto as temperaturas da superfície solar ficam na casa dos 6 mil graus Celsius.