Bebê da princesa Kiko é menino

Reuters

A princesa Kiko deu à luz um menino na manhã do dia 6 em um hospital particular de Tokyo. O nascimento do primeiro bebê do sexo masculino na família imperial em um período de 41 anos acaba com as expeculações sobre uma crise na linha sucessória e engaveta a possibilidade de uma mulher assumir a posição de imperadora do Japão.

Ao nascer, o príncipe cujo nome ainda não foi decidido, se torna o terceiro na linha de sucessão ao trono, precedido somente pelo seu tio, o príncipe herdeiro Naruhito, e seu pai, o príncipe Akishino.

Kiko, de 39 anos, foi submetida a uma cesariana às 8h27 (20h27 de terça-feira no horário de Brasília). A mãe e o bebê, que nasceu pesando 2,558 quilos, passam bem, segundo a Agência da Casa Imperial.

De Sapporo (Hokkaido), o imperador Akihito e a imperatriz Michiko anunciaram que sentiram grande “alívio” ao saber do nascimento de seu primeiro neto do sexo masculino. “Estamos aliviados por saber do nascimento bem-sucedido. Enviamos nossas mais sinceras saudações”, disse o imperador.

Opinião pública
“É um feliz notícia, que resolve o problema de sucessão”, disse um funcionário de uma floricultura de Tokyo. “É bom termos alguém que se tornará imperador.”

“Estou feliz não só porque é um menino, mas porque nasceu saudável”, comentou um professor aposentado de inglês na capital japonesa. “Isto pode tirar da princesa Masako (esposa de Naruhito) o peso de ter de dar à luz um menino ou precisar criar sua filha para ocupar o trono.”

Reuters
A Família Imperial: bebê é o terceiro na sucessão do trono

Sucessão
O fato de nenhum menino ter nascido na Família Imperial nos últimos 41 anos, e o temor de que uma das mais antigas dinastias do mundo acabasse por falta de herdeiros, iniciou uma série de debates sobre a abertura do trono de Crisântemo para uma mulher.

Governo e entidades discutiam a validade e a viabilidade de se alterar a constituição japonesa para permitir a alteração. Apesar de setores conservadoristas serem contra a alteração, a abertura contava com o apoio da maioria da população e até do primeiro-ministro japonês Junichiro Koizumi.

Se a mudança fosse aprovada, a princesa Aiko, filha única da princesa Masako e do primeiro na linha de sucessão, príncipe Naruhito, seria a mais cogitada para assumir o trono após seu pai.

O príncipe Akishino, irmão de Naruhito , até então tinha somente duas filhas com a princesa Kiko: Mako e Kako.

A irmã mais nova de Naruhito e Akishino, princesa Sayako, casou-se com um plebeu e teve sua condição real revogada. Graças a isso, seus futuros filhos não poderiam assumir o trono.