Conferência une dois mil líderes religiosos

Cerca de dois mil líderes religiosos de cem países de todo o mundo se juntaram na antiga capital japonesa de Kyoto para incentivar o diálogo global na Conferência Mundial das Religiões pela Paz. O primeiro-ministro japonês Junichiro Koizumi também participou das discussões.

“Acredito que é possível que as pessoas possam passar por cima das diferenças entre culturas e religiões pelo diálogo e aprofundar a confiança mútua para assim diminuir as dificuldades e confrontos pelos quais o mundo passa”, disse Koizumi no discurso de abertura.

O tema da conferência de quatro dias, até quinta-feira, é “Enfrentando a violência e avançando a segurança compartilhada”.

Mas nem tudo foi igualdade no evento. Seis norte-coreanos foram proibidos de participar da conferência, incluindo o presidente do conselho religioso da Coréia do Norte. A proibição aconteceu devido à política de imigração japonesa após os testes de mísses no mar do Japão.