Guarda costeira russa mata pescador japonês perto de área disputada

Um navio de patrulha da guarda costeira da Rússia abriu fogo contra uma embarcação pesqueira japonesa em águas territoriais disputadas por Moscou e Tokyo, provocando a morte de um pescador.

O governo do Japão protestou contra o incidente e informou que a Rússia pediu aos navegadores japoneses que não se aproximem de suas águas territoriais.

O pescador foi baleado e morto perto da ilha de Kaigara, uma das diversas formações insulares ao norte de Hokkaido que são administradas pela Rússia e reivindicadas pelo Japão. De acordo com a patrulha de fronteira russa, o pescador japonês foi “baleado mortalmente na cabeça”, mas não intencionalmente.

De acordo com autoridades russas, o homem, identificado pela imprensa japonesa como Mitsuhiro Morita, de 35 anos, foi atingido por um tiro de alerta disparado contra uma embarcação que “manobrava perigosamente”.

O diplomata Mikhail Galuzin, vice-embaixador russo em Tóquio, assegurou que a guarda costeira não tinha a intenção de matar o pescador.

Os outros três tripulantes da embarcação pesqueira não ficaram feridos no incidente. Eles foram levados a uma ilha próxima para interrogatório e correm o risco de indiciamento, informou a emissora de televisão japonesa NHK. Os três admitiram pesca ilegal em águas territoriais russas, prosseguiu a NHK, citando uma fonte na polícia russa.

Entretanto, o governo japonês queixa-se que a embarcação estava ainda em suas águas territoriais, qualificou o episódio como “inaceitável” e exigiu imediata compensação e libertação dos tripulantes sobreviventes.

O incidente é a mais recente escalada em seis décadas de disputa entre Japão e Rússia por diversas ilhas situada entre o norte japonês e o leste russo.