Confira entrevista com Yumi Matsuzawa

:: Vídeo: cantora manda mensagem

Edson Nakamura
Cantora se apresenta no Anime Friends

Yumi Matsuzawa é a cantora de anisongs (abreviação de anime songs) cujo trabalho mais famoso aqui no Brasil são as músicas de abertura e encerramento originais dos Cavaleiros do Zodíaco: Hades – A Saga do Santuário, que ela compôs, escreveu e interpretou em 2003.

Edson NakamuraYumi veste blusa da JBC. Depois de uma carreira meteórica como modelo, ela decidiu se tornar cantoraQuando criança, Yumi sonhou em ser lutadora de luta-livre, mas, aos 20 anos, resolveu ser cantora depois de uma carreira meteórica como modelo. Em 1996, ela foi escolhida para interpretar a música tema de Martian Successor Nadesico, “You Get Burning” e, assim, iniciou a sua carreira solo cantando músicas de animes e games.

Este ano, a artista está completando 10 anos de estrada e está com planos de lançar um novo álbum – além de realizar alguns shows fora do Japão. Ela esteve na Espanha em março e veio, agora em julho, ao Brasil, para se apresentar no Anime Friends.

Bonita e comedida, Yumi recebeu a equipe da Henshin antes de seu show em terras brasileiras esbanjando simpatia.

Você gosta de animes, mangás e games?
Eu comecei a prestar mais atenção nesse meio depois que comecei a trabalhar como cantora de anisongs. Quando fui compor as músicas de Os Cavaleiros do Zodíaco, por exemplo, li e assisti todo o material referente à série. Ser responsável pelas músicas de Os Cavaleiros do Zodíaco foi uma grande honra, porque conheço as aventuras de Seiya desde criança. Na época, eu não imaginava que fosse trabalhar com isso. Mas eu fico impressionada com os animes produzidos na última década. Eles são muito diferentes daqueles que eu costumava assistir quando criança. Agora os eles são mais ágeis e as imagens maravilhosas.

É verdade que quando você era criança queria ser lutadora de luta-livre?

É verdade (risos). Quando estava no ensino fundamental, o meu sonho era ser três coisas: a primeira era lutadora de luta-livre, a segunda era motorista de táxi e a terceira era ser igual à cantora Seiko Matsuda (Famosa cantora pop japonesa, anterior à fase J-Pop). A luta-livre eu desisti porque doeu muito quando brinquei disso. Também achei que seria muito arriscado uma mulher dirigir à noite como motorista. No final, eu fui mais para o lado da Seiko Matsuda (risos).

Mas você virou modelo aos 19 anos…
Quando eu ainda era estudante, fui convidada para posar como modelo para uma revista para adolescentes. Esse trabalho foi mais como um bico para ganhar experiência de vida do que qualquer outra coisa. Essas revistas sempre incluem um pequeno comentário das modelos e, quando fui perguntada sobre o que eu queria ser no futuro, eu respondi que queria ser cantora. Foi depois disso que eu comecei a participar de testes e audições para finalmente ser escolhida para cantar a música tema de Nadesico.

Conte-nos um pouco mais sobre o seu trabalho em Os Cavaleiros do Zodíaco relacionado a Saga de Hades.
Foi realmente uma grande emoção ser escolhida para compor e interpretar as músicas de Os Cavaleiros do Zodíaco porque é um título forte e muito conhecido no Japão e no mundo.

Yumi conhece a história de Cavaleiros do Zodíaco desde criançaA melodia principal de “Chikyugi”, a música de abertura, veio enquanto eu estava tomando banho. Assim que ela “baixou” na cabeça, eu saí e liguei para o meu produtor para saber o que ele achava. A música foi composta independente de Cavaleiros e fiz a letra imaginando este período conturbado em que vivemos, com guerras, conflitos e terrorismos. A mensagem que eu quero passar é de que, apesar de cada um de nós termos pouca força, é através dos pequenos esforços que o mundo pode caminhar para uma direção melhor.

Foi só depois que abriram o concurso de escolha das músicas da nova produção animada. Na ocasião, me perguntaram se eu não queria mudar a letra para aproximar mais do anime, mas, a visão que eu tenho do Seiya é a de um Cavaleiro de Bronze que está bem abaixo de um Cavaleiro de Ouro, avançando sempre e sem desistir até superar os seus obstáculos. Acho essa mensagem muito legal e, por isso, não alterei a letra da música, porque tem tudo a ver com a imagem que eu tenho do Seiya.

As músicas anteriores da série como “Pegasus Fantasy” e “Soldier Dream” são clássicos insuperáveis e eu pensei que não teria chances se tentasse competir com o mesmo estilo de música. Portanto, em vez de mostrar um Seiya forte e invencível, eu pensei em retratá-lo como uma pessoa de carne e osso que não é poderoso o tempo inteiro, que também tem momentos de fraqueza mas que supera as dificuldades com muito esforço.

A letra da música de encerramento, por acaso, seriam os sentimentos da Saori?
A música de encerramento, “Kimi to Onaji Aozora”, tem um clima muito feminino e romântico para um anime que trata mais da amizade, não é mesmo? Eu a compus imaginando os sentimentos femininos, mas não foi imaginando uma personagem específica como a Saori. Na hora de mandar as músicas para o concurso, foi a equipe do desenho que demonstrou interesse por essa canção, achando que tinha a ver com o encerramento. Depois, quando vi a música junto com as imagens feitas pela equipe da Toei, eu achei que combinou e ficou muito bonito.

Quais são as suas impressões do Brasil?
Me contaram que estávamos no inverno, mas o dia está quente (risos). O Sol daqui é muito forte, diferente do que estou acostumada. Eu tenho que confessar que, antes de vir para o Brasil, estava muito receosa porque as pessoas ao meu redor faziam terrorismo dizendo que nunca poderia tirar os olhos de minhas coisas ou que poderia sofrer um à mão armada. Mas agora estou mais calma. Esse tipo de coisa deve depender muito do lugar onde estamos, não é mesmo?

O que acha de cantar no Brasil e qual a sua expectativa do show?
Fiquei muito feliz de poder vir cantar aqui no Brasil. Em março, tive a oportunidade de fazer shows na Espanha*. Foi a primeira vez que me apresentei fora do Japão e fiquei muito admirada de ver aquele público tão diferente, com uma outra cultura e língua, cantando minhas músicas em japonês. Foi aí que eu pude sentir o poder e a influência do anime fora do Japão. Isso me transmitiu uma energia muito positiva e me deixou muito orgulhosa de estar trabalhando com músicas de anime.

Lá no Japão, o Brasil é conhecido como o “País da Paixão” e dizem que o público daqui é muito animado. As minhas músicas e a minha performance são bem calmas e espero que isso não impeça a todos de cantarem junto comigo.

* Em março de 2006, Yumi Matsuzawa foi até a Espanha (Granada e Barcelona) onde apresentou shows ao lado de YUKA (Dragon Ball Z, Macross 2), Yoko Ishida (Sailor Moon R, Oh! My Goddess) e Hironobu Kageyama (Dragon Ball Z e Os Cavaleiros do Zodíaco).

Entrevista:Arnaldo Oka

Você pode se interessar também por...