Maioria da população rejeita visita de premiê a santuário

Mais da metade dos japoneses não quer que seu próximo primeiro-ministro visite o santuário Yasukuni, informam duas pesquisas publicadas em jornais nesta segunda-feira.

Segundo o jornal Mainichi, 54% dos 1065 entrevistados disseram que, quem quer que seja o sucessor do premiê Junichiro Koizumi, não deveria visitar o local. Koizumi deixa o cargo em setembro. Outros 33% apoiariam uma visita e 17% não souberam opinar.

Uma outra pesquisa publicada pelo jornal Nihon Keizai com 966 entrevistados mostrou resultados similares, com 53% contrários a uma visita, 28% favoráveis e 19% indecisos.

China e outros países asiáticos dizem que o santuário Yasukuni glorifica o passado militarista japonês. O local homenageia 2,5 milhões de japoneses mortos na guerra, incluindo 14 condenados por crimes na Segunda Guerra Mundial.