Universidade de Waseda recria feições de múmia egípcia

O Instituto de Egiptologia da Universidade de Waseda recriou através de softwares de computação gráfica o rosto de uma múmia egípcia que se acredita ter 3,8 mil anos de idade. A equipe de pesquisas da universidade concluiu que a múmia, descoberta em janeiro do ano passado em um sítio arqueológico de Dahshur, no Egito, é de um homem de meia-idade ou idoso. A conclusão foi baseada em resulatados de exames de tomografia computadorizada.

A Universidade Joshibi de Arte e Design ajudou o instituto a fazer o retrato facial. A imagem mostra um homem de olhos amendoados, nariz largo e lábios grossos, e será exposta para o público japonês a partir de julho.

Acredita-se que a múmia fosse um comandante do exército chamado Senw que viveu por volta de 1750 a.C., julgando pelas inscrições no sarcófago.