Soldados japoneses ficam no Iraque

O premiê do Japão, Junichiro Koizumi, disse que os soldados de seu país não deverão ser retirados do Iraque enquanto ele for primeiro-ministro. A implementação da decisão japonesa de retirar os cerca de 600 soldados enviados por Tóquio ao país árabe deve ter como uma base uma “ampla avaliação” da situação política e da questão de segurança e “não ocorreria necessariamente” durante seu mandato, disse Koizumi.

O mandato do primeiro-ministro japonês expirará em setembro.