Juiz de Tokyo rejeita pedido de coreanos

A Corte Distrital de Tokyo rejeitou esta quinta-feira pedido para que o estado pare de homenagear no Santuário Yasukuni coreanos que serviram ao exército japonês.

O pedido foi feito por 161 ex-soldados e civis sul-coreanos que estiveram nas fileiras militares japonesas e 253 familiares de combatentes mortos durante a Segunda Guerra Mundial. Eles buscavam um total de 4,4 bilhões de ienes em compensações a serem pagas pelo governo.

É a primeira vez que um tribunal considera legítimo que o estado tenha enviado informações sobre as baixas de guerra ao santuário até 1987, de acordo com um aliado dos pleiteantes.

No entanto, o juiz Shigeru Nakanishi disse as notificações em si não representavam “desvantagens específicas” aos coreanos e que portanto não poderiam ser vistas como violações aos “direitos pessoais étnicos”.

O Santuário Yasukuni homenageia 14 criminosos de guerra junto com as vítimas do conflito e é considerado ofensivo pela Coréia do Sul e pela China.