Okinawa

1005_okinawa.jpg

A província de Okinawa mais parece um país independente, como de fato já foi. Principalmente por causa de sua posição geográfica, já que está a apenas 127 km de Taiwan e a distantes 1 500 km da capital japonesa. Para chegar lá, a melhor maneira é de avião. O preço do vôo, que demora 2h30 a partir de Tokyo, varia muito, dependendo da época do ano, do dia da semana em que se voa, de quando se marca a data do embarque. A ida e a volta podem custar de 30 000 ienes (cerca de 335 reais) a 80 000 ienes (cerca de 765 reais). Como a diferença é grande, vale a pena pesquisar e marcar tudo com bastante antecedência.

Naha, a cidade mais importante do arquipélago, concentra 300 mil dos 1,2 milhão de habitantes. É o melhor lugar para se ter como base. Principalmente se o hotel ficar nas imediações da avenida Kokusai. Ali estão as melhores lojas, restaurantes, bares e casas noturnas. No começo da avenida fica a rodoviária, de onde saem ônibus para qualquer parte da ilha principal. Assim é possível acordar, escolher uma praia para passar o dia e voltar no fim da tarde para curtir um pouco da cidade. A má notícia é que quase todos os bares e danceterias da região fecham à meia-noite.

Para quem quer conhecer a ilha toda e tem pouco tempo, a melhor opção é alugar um carro. As placas de trânsito são escritas em japonês e em inglês. O problema para quem optar pelo carro é a lentidão do trânsito. Apesar da ilha principal ter 135 km de sul a norte, leva-se em média quatro horas para cumprir este percurso. Mas vale a pena. A viagem pela rodovia 58, que cruza a ilha de ponta a ponta, é sem dúvida um belo passeio. Ali, tem-se a nítida impressão de que se está numa ilha. Em qualquer lugar que estacione o automóvel, ao lado se encontra uma bela praia. Nos sábados à noite, porém, recomenda-se voltar a Naha no começo da noite. É que os principais barzinhos do arquipélago ficam na beira desta estrada e, depois das 21h, o movimento de carros e gente é tão intenso que chega a impedir a passagem.

Próximo a Naha, há boas opções de praias. A Naminoue fica bem próxima ao aeroporto. Sentado na areia branca – um artigo de luxo no Japão, onde a areia costuma ser preta -, pode-se admirar o sobe-e-desce dos aviões. Ou, então, ficar olhando para o mar e vendo os carros passar. Isso mesmo. Uma inusitada ponte para automóveis passa a cerca de 5 km mar adentro e acompanha toda a extensão da praia. Talvez por isso seja um dos únicos pontos de Okinawa em que é difícil de se ver peixe na água.

Você pode se interessar também por...