Osaka

0201_osaka.jpg

Entrecortada por rios e ter se desenvolvido a partir do mar, Osaka é conhecida como a cidade dos canais ou capital das águas. É quase como uma “Veneza japonesa”. Como não podia deixar de ser, o turismo da cidade explora a diversidade e a paisagem formada pelas inúmeras pontes locais além da baía.

É de frente para o mar que se concentra a diversão: no Tempozan Harbor Village, a principal atração é o Aquário Kaiyu-kan, um dos maiores do mundo, especializado nas espécies marinhas do Oceano Pacífico. É no mar também que se contra a maior fonte de desenvolvimento do local.

Como em todo o Japão, Osaka também é uma cidade de contrastes, que aqui pode ser observado em uma das mais belas paisagens. Trata-se do Castelo de Osaka, que fica em uma bela área verde cortada por rios e de frente para o Osaka Business Park, um conjunto de modernos prédios de escritórios.

Pontos turísticos de onde se tem uma vista privilegiada não faltam: há o observatório Floating Garden, no bairro de Umeda, o Rinku Gate Tower Building , próximo ao aeroporto de Kansai, e a Torre Tsutentaku, no bairro de Tennoji. O principal atrativo do local é o templo Shitennoji, o mais antigo do Japão, fundado há 1.400 anos pelo príncipe Shotoku.

Mas quem procura diversão não pode deixar de conhecer Minami e Kita, no centro da cidade. Kita, o centro de negócios de Osaka, possui inúmeros shopping centers, lojas de departamentos, prédios de escritórios, hotéis e restaurantes, além de uma roda gigante no topo de um prédio, o shopping center Hep 5. Os bairros de Namba e Shinsaibashi, na área de Minami, formam o centro do entretenimento e das compras de Osaka. A elegante avenida Mido Suji é a espinha dorsal do bairro, com várias lojas de departamentos e butiques de grife. O América Mura, bairro frequentado por jovens, oferece lojas com preços convidativos de dia e uma animada vida noturna.

Uma peculiaridade de Osaka está na língua. Ali predomina o dialeto Naniwa, que teve origem no estilo de vida dos bem-sucedidos mercadores da região também no período Edo. Expressões como ookini (obrigado) em vez do popular arigatô são usadas até hoje pelos moradores da cidade, famosos pela simpatia com que recebem os visitantes.