Tokyo

0206_tokyo_01.jpg

Tokyo é o que se pode chamar de a “alma do Japão”. Uma das cidades mais curiosas do mundo, a capital japonesa consegue ser, ao mesmo tempo, tradicional, já que abriga templos e santuários antigos; e moderna, com seu conglomerado de prédios e o burburinho alucinante causado pelas milhões de pessoas que se aglomeram pelas ruas.

Não é à toa que se costuma afirmar que o mundo está em Tokyo. A cidade, megalomaníaca por natureza, sintetiza as várias facetas de um país que valoriza conceitos como tecnologia, eficiência, ordem e educação, mas não deixa de lado a simplicidade, a na-tu-reza e a paciência. Apesar de possuir o maior custo de vida do mundo, os turistas afirmam que vale a pena conhecer Tokyo pela beleza da cidade e pela concentração de lojas das melhores griffes do mundo, a variedade de restaurantes de diferentes etnias e o riquíssimo circuito cultural da cidade, que concentra exposições de famosas obras-de-arte em seus inúmeros museus e galerias.

O interessante é que essa aparente contra-di-ção de costumes atribuída a Tokyo, longe de ser um de–fei-to, tornou-se o charme do local. A cidade, que acumula títulos como o maior aglomerado urbano do mundo, com 26,5 milhões de pessoas, e a maior concentração de luminosos por metro quadrado, é também o local onde podem ser encontradas casinhas de madeira com varandas repletas de flores e velhinhas embrulhadas em quimonos centenários, que dividem as calçadas com garotos que parecem saídos de algum baile à fantasia.

Harajuku
Harajuku pode ser, no mínimo, considerado um lugar eclético. Enquanto a avenida Omoteasando mostra todo o seu requinte, com cafés e Ferrais estacionadas em frente a lojas suntuosas, a poucos metros do local está a Takeshita-dori, uma rua que ficou famosa pela venda de itens descolados que fazem a cabeça do pessoal mais alternativo. Mas a cidade também abriga locais para quem prefere fugir do agito, como o parque Yoyogi, onde as pessoas podem relaxar em um piquenique e aproveitar para conhecer o milenar Santuário Meiji, um oásis de tranqüilidade repleto de árvores e pássaros.

Shinjuku
Em Shinjuku, centenas de prédios indicam que a principal característica da cidade é um poderoso centro comercial, que abriga des–de lojas de conveniência e de depar-tamentos à imensas a boutiques de grifes famosas, como Louis Vuitton e Hérmes. A cidade, que concentra a sede do governo de Tokyo, também oferece atrativos aos mais festeiros no bairro de Shinjuku, que é conhecido pela boemia mais tradicional pela infinidade de bares, desde os mais populares até os mais caros, especialmente na região de Kabuki-cho.

Akihabara O paraíso consumista na capital japonesa concentra-se em Akihabara, onde podem ser encontrados os artigos mais modernos de computadores e eletrônicos. Conhecer a cidade e não comprar nada é praticamente impossível. Os motivos são óbvios: a superexposição de mercadorias, a grande quantidade de propagandas, enfim, um espetáculo high-tech que só o Japão poderia proporcionar.

Roppongi
O lugar com a vida noturna mais agitada no Japão, Roppongi é o locam onde concentram-se pessoas dos quatros cantos do mundo. Este é um bairro onde o Japão tradicional fica para trás e, apesar de localizar-se no centro da capital japonesa, a língua oficial do local é o inglês. Bares, discotecas e vários lugares para paquerar até o sol raiar estão à disposição para todos os gostos e bolsos.

0206_tokyo_02.jpg