Especial: Katakana

O katakana é um dos alfabetos japoneses
O katakana é um dos alfabetos japoneses

Sim, é possível escrever os nomes ocidentais em japonês. Para isso, existe um alfabeto especial, o katakana, que, entre outras funções, permite expressar foneticamente palavras estrangeiras. Assim, é possível escrever nomes próprios a partir da sua sonoridade.

A maioria dos idiomas é expresso somente em um tipo de alfabeto. Aqueles que não estão familiarizados com a língua japonesa podem se assustar: além dos complicados ideogramas conhecidos como kanji, que totalizam cerca de 6 mil, ainda são utilizados dois alfabetos compostos por 48 sílabas cada um: o hiragana e o katakana.

Ambos diferem apenas na grafia, pois possuem exatamente os mesmos correspondentes fonéticos entre si. O primeiro é usado na escrita convencional, para substituir o próprio kanji ou no caso de partículas, preposições e complementos. Já o segundo requer cuidados especiais, pois desempenha diversas funções nas mais variadas situações.

Conheça as particularidades do katakana e aprenda a escrevê-los.

Exceções à regra

A equivalência fonética dos katakanas tem algumas exceções, como é o caso do ‘R’ com som de ‘rr’ e o ‘L’ que se transforma em ‘ru’

especiais