Pesquisadores na família imperial japonesa

Você sabe o que é ornitologia? E ictiologia? Ou ainda taxonomia? Os nomes para estudo de aves, peixes e classificações, respectivamente, podem soar estranho para muitas pessoas, mas não para os membros da família imperial japonesa.

Eles costumam esmiuçar assuntos leves, amenos, em sua maioria relacionados à biologia. Alguns torcem o nariz, e acham que eles se dedicam a futilidades, em vez de se envolverem com assuntos mais importantes.

Já outros acreditam que estudar os animais ou plantas não são temas menores. Tanto é que eles têm mostrado engajamento em diversas causas ecológicas e científicas.

O fato é que com o final da Segunda Guerra, o imperador perdeu o poder político e, desde então, seu papel se distanciou de assuntos relacionados à sociedade. Como consequência, os membros da família imperial passaram a evitar envolvimento em temas políticos e sociais.

Por isso, quando não estão cumprindo os compromissos oficiais, agendados pela Kunaicho, a Agência da Casa Imperial, uma das ocupações dos integrantes da família é dedicar-se aos estudos de animais e plantas, evitando assuntos mais polêmicos.

Imperador: dedicação aos peixes

Akihito é especialista em peixes

Akihito é especialista em peixes

O imperador também herdou de seu pai Hirohito o apreço pela biologia. Akihito aproveitou o laboratório construído a pedido de seu pai no palácio Akasaka e aprofundou seus conhecimentos em ictiologia (estudo dos peixes), em especial, no da espécie caboz.

Ele também se dedica ao estudo de outros animais. Uma pesquisa sua envolveu a análise de 169 amostras de fezes dos guaxinins tanuki, que vivem nos jardins do palácio. Colhido durante um ano, o material serviu para análise dos hábitos alimentares do bicho.

Além dos animais, o imperador planta mudas de arroz no jardim Imperial. Neste caso, não se trata de um objeto de estudo, mas sim de um ritual anual de ação de graças.

Akishino: pesquisador de galináceos da selva

Príncipe Akishino é recebido no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo.  Fotos: Rafael Salvador

O príncipe Akishino é Ph.D. em ornitologia
Fotos: Rafael Salvador

O príncipe Akishino herdou do pai o gosto pelas ciências biológicas. Ele estudou Direito na Gakushuin, e em seguida Zoologia na Universidade de Oxford. É Ph.D. em ornitologia (estudo das aves), com o estudo sobre a Filogenia molecular de galináceos da selva, gênero gallus e a origem das galinhas domésticas.

Ele também estuda peixes, e é especialista em bagre. Na Tailândia, foi o responsável pela introdução da tilápia (importante fonte de proteína), e ainda administrou a manutenção e expansão de estudos em aquacultura naquele país.

Imperatriz: afinidade com o bicho da seda

Clique na imagem para assistir ao vídeo (no Windows Media Player). /Agência da Casa Imperial

A imperatriz Michiko tem afinidade com bichos da seda


Através de outro cerimonial, a imperatriz Michiko mantém uma relação especial com o bicho da seda. Todos os anos, ela participa de um ritual em que amarra ramos de carvalho com uma faixa de papel japonês colada com ovos do inseto.

A ação integra a tradição oriental em que a seda é utilizada na restauração de um velho têxtil de valor histórico guardado pela família imperial no Depósito de Shoshoin.

Naruhito: especialista em transportes na Idade Média

Príncipe Naruhito em visita ao Parque Ibirapuera, em São Paulo

Naruhito gosta de meios de transporte desde criança


Os estudos do príncipe-herdeiro Naruhito distoam dos demais membros de sua família. Ele não quis estudar animais nem plantas como seu pai e irmão.

No lugar de bichos, o sucessor ao Trono do Crisântemo preferiu estudar História, com especialização em transportes e circulação na Idade Média, escandalizando os mais conservadores.

Seu interesse por estradas o acompanha desde a infância. Ele se justifica: “Pelas estradas você pode ir para um lugar desconhecido. Já que tenho poucas chances de sair livremente, elas são uma ponte para o mundo”.

Takamado: princesa ecologista

A princesa Takamado dedica-se a causas ambientais

A princesa Takamado dedica-se a causas ambientais

Engajada nas causas ambientalistas, a princesa Takamado, viúva do príncipe Takamado, primo do príncipe-herdeiro Naruhito, já visitou o Brasil para prestigiar a Save, uma organização não-governamental que atua na conservação das aves no país.

Além da Ong brasileira, a princesa é presidente honorária da BirdLife International (aliança de organizações conservacionistas presente em mais de 100 países). “Espero que, como membro da família imperial, possa divulgar esta bandeira”, afirma.

No Brasil, a princesa conheceu alguns projetos desenvolvidos pela Save, como o Projeto Corredor Una-Lontras, na Bahia. Nascida Hisako Tottori, a princesa explica seu interesse pela natureza, em especial pelas aves: “cresci em meio à natureza. Desde pequena tenho contato com elas. Meu sobrenome de solteira é Tottori, composto pelo ideograma tori (que significa pássaro), então, quando criança, queria fazer algo por eles”.

Veja também:
.: Hisahito irá à escola em 2010
.: Reverência de Obama a Akihito gera polêmica nos EUA
.: A origem dos sobrenomes japoneses
.: A Família Imperial Japonesa no Brasil
por: Erika Omori e Nataly Murayama

Você pode se interessar também por...